Pesquisar este blog

26 de fev de 2011

Sucre d'Ébène - Huitieme Art

Notas:
Açúcar Mascavo, hamamélis e benjoim

Conhecendo um pouco das criações olfativas de Pierre Guillaume em sua primeira marca, Parfumerie Generale, sempre espero encontrar um perfume gourmand em seus projetos. O perfumista tem um grande amor por notas gustativas e sempre as manipula com um efeito mais noturno, sério, onde o lado sobremesa convive com algo mais incensado, denso. Sucre d'Ebéne é a criação da Huitiéme Art que se enquadra nesas categoria que sempre encontro em seus trabalhos. E o resultado aqui é tão bom quanto o esperado.


Sucre d'Ebéne foi criado para mostrar o uso da phyto extração do extrato de Hamammelis. Muito conhecida na indústria cosmética por suas propriedades adstringentes, o Hamammelis parece ser difícil de ser explorada pela dificuldade de se extrair seu aroma. Com a nova técnica, percebe-se o seu potencial na criação de gourmands adultos. O cheiro de hamammelis em Sucre D'Ebéne se aproxima muito do cheiro da avelã, sem possuir o peso dessa nota. Sucre d'Ebéne evolui perfeitamente de uma saída açúcarada caramelizada para uma fase de um cheiro de avelã como uma finalização incensada e abaunilhada, típica do uso da nota de benjoim. O que mais surpreende nele é o contraste entre o cheiro negro, açúcarado, de nozes e uma leveza incomum nesse gênero. O seu adocicado nunca se torna dominante, se expandindo no ar como uma transparente nuvem adocicada incensada.

Sucre d'Ebéne é o que se pode esperar de um cheiro gourmand mais adulto. Usável, elegante, adequado ao gosto do consumidor moderno por notas mais doces, mas sem cair na armadilha de fazer o seu usuário parecer um pudim ambulante. A nota de hamammelis é promissora e ao prová-lo espera-se ver o seu cheiro de avelã em outras composições olfativas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here