Pesquisar este blog

23 de jan de 2011

Hermessence Brin de Réglisse e George V - Hermés


Notas:
Lavanda, anis, flor de laranjeira e feno

O que Paprika Brasil não consegue atingir com seu aroma, Brin de Réglisse faz perfeitamente. Desconsiderando-se o rastro sutil, uma característica de quase todos os perfumes da linha, que parecem vestir a pele de uma forma extremamente efêmera, Brin de Réglisse balanceia o minimalismo compacto com a intensidade e densidade das notas propostas.


Brin de Reglisse é como uma dança olfativa de lavanda, similar ao que a tradicional marca francesa Caron criou com o seu clássico masculino Pour Un Homme. A diferença aqui é que a lavanda, em vez de condutora dessa dança, é conduzida pelo aroma negro do anis. A príncipio, sentimos uma lavanda seca, mais herbal, e desprovida de seu lado mais medicinal e caramélico, comum em muitas criações de lavanda. O perfumista aqui isolou os aspectos que interessava na nota, com um corte bem preciso que deixou só o essencial, dando um caráter mais simples e puro para a lavanda.

O Anis acaba sendo a principal nota dessa dança. E ele a conduz perfeitamente, com um aroma que oras é mais especiado, e oras apresenta um aroma doce discreto e negro. É possível perceber que essa dança é suportada por um amadeirado seco que quase não aparece, mas que em alguns momentos se torna evidente, com um aroma de lascas de madeira que não é pertencente a nenhuma das duas notas.

Como todos os perfumes da linha, essa dança negra adquire um tom discreto após as duas primeiras horas na pele. Mas mantém, mesmo que num passo bem pequeno, seu aroma aromático e adocicado, sem se dissipar numa base indistinta, como o que ocorre em Paprika Brasil.

Observação:

O que poucos sabem é que Brin de Reglisse possui um irmão - George V. Lançado em 2006, Geórge V foi um presente dado pela Hermés a todos os convidados presentes na reinauguração de sua loja Geórge V na França. George V é um irmão menos dark e mais balanceado de Brin de Reglisse. As notas são as mesmas, mas a execução é claramente diferente. George V parece ser mais complexo e mais perceptível que Brin de Reglisse, o que talvez indique o motivo das mudanças na fórmula, para adequar a fragrância ao aroma compacto e sutil de toda a linha.


A lavanda em George V não é tão pura quanto em Brin de Reglisse, dando a impressão de que o perfumista ainda estava trabalhando na nota. O seu cheiro é menos herbal e seco, e possui um discreto tom caramélico. O anis parece menos em foco, e o aroma de feno não se manifesta durante a evolução. A flor de laranjeira parece mais evidente, dando um cítrico fresco que não se manifesta na versão final. Há um aroma de chá também, que está presente do começo ao fim da evolução, dando um toque refrescante ao conjunto da obra.  Apesar de não se adequar a coleção, Geórge V daria uma bela lavanda, mais refrescante e perfeita para dias mais quentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here