Pesquisar este blog

20 de dez de 2010

L'Échange - L'Artisan Parfumeur



Notas Olfativas:
Saída: Pimenta rosa, Coriandro, Laranja, Mandarina, 
Corpo: Pimenta framboesa, rosa, incenso, resina elemi, 
Fundo: Musks, madeiras ambaradas

Seguindo uma mesma tática comercial que a grife Le Labo, L'Échange é uma criação masculina da L'Artisan lançada em 2007 como uma exclusividade para o público britânico. Recentemente, alguns frascos foram vendidos como uma edição limitada nas lojas francesas da marca. A tatíca parece ter um objetivo de criar para o consumidor uma relação de exclusividade e importância com o produto, já que, com poucos disponíveis e limitados a um único ponto de distribuição, as chances de que o perfume se torne popular e comum são pequenas.

Essa tática, entretanto, não produz necessariamente algo exclusivo e diferenciado de outros perfumes mais acessíveis no mercado. L'Échange, a troca em francês, parece aludir exatamente a alma da composição: essa é mais uma das criações de Bertrand Douchafour que combina incenso, especiarias e notas ambaradas. Numa espécie de rotação entre as proporções dessas notas, Bertrand Douchafour criou perfumes como Dzonghka e Aedes (ambos da marca), Baume du Doge (criado para a italiana Eau de Italie) e Jubilation XXV (para a árabe Amouage). De todos da série, L'Échange parece o mais comercial e o menos interessante.

O que predomina nele são as notas de fundo, a combinação de musk e madeiras ambaradas. Isso passa uma sensação de dejá-vú, pois são elementos muito comuns nas composições de perfumes masculinos. O que deveria ser, como em suas outras criações, um acorde de sustentação para os outros elementos do perfume acaba virando o centro das atenções e o torna um pouco linear e previsivo. Talvez o objetivo tenha sido criar algo que fosse mais conservador e se adequasse ao público britânico. O que decepciona é que o caminho óbvio tenha sido o escolhido.

Há elementos interessantes conforme o perfume evolui na pele, mas que são ofuscados pela intensidade do ambar amadeirado da base. Logo que ele é aplicado, é possível perceber um acorde quase gustativo de laranjas frescas e especiarias adocicadas. Elas dão espaço para um aroma incensado, porém de um incenso bem mais discreto do que o das criações citadas anteriormente. Há algo frutal e floral doce entre as notas de incenso, mas que acaba disputando atenção com o ambar amadeirado e se perde no olfato devido a predominância do último.

Possuindo uma fixação e rastros medianos, porém superiores a maioria das criações da marca, L'Échange pode funcionar como uma introdução ao público masculino na categoria de perfumes incensados e especiados exóticos. Para os mais experientes, recomendo o teste dos perfumes citados acima, pois a troca do foco nos aromas em L'Échange não o torna mais interessante que os outros, apenas mais previsível e menos desafiador.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here