Pesquisar este blog

2 de nov de 2010

Shalimar Ode a La Vanille - Guerlain






Se o clássico Shalimar foi um dos primeiros perfumes a construir uma estrutura oriental, que se utilizava de notas resinosas e atalcadas aliadas a baunilha, com nuances cítricas e herbais, Shalimar Ode a La Vanille parece mais uma tentativa de "ocidentalizar" o gênero oriental. Shalimar tradicional foi concebido como uma homenagem ao amor de Shãh Jahãn pela sua esposa Mumtaz Mahal; já  Ode a La Vanille parece  inspirado em uma descendente atual deles, que é uma atriz de filmes em Bolywood e que mantém a herança de sua família sem perder o charme moderno.

A estrutura da criação original é, paradoxalmente, complexa e simples de tal forma que permite a Guerlain transformar suas proporções e produzir variações interessantes do tema principal. Ao criar Shalimar Light e Eau de Shalimar, a ênfase é transferida da complexa base atalcada e abaunilhada para ao aroma cítrico, o colocando em uma direção gourmand abaunilhada que agrada ao consumidor moderno. Em Ode a La Vanille, a transformação ocorre na direção da base, exatamente como o nome sugere, exaltando o máximo possível o aroma cremoso e sensual da baunilha.

Num primeiro movimento, essa bela herdeira moderna e mais jovem nos mostra a herança de sua família, só que numa versão mais limpa e direta. É possível perceber o aroma cítrico da saída do original transformado em um acorde de limão e lima que é cítrico e ligeiramente amargo ao mesmo tempo. A impressão da saída se desfaz rapidamente, com um breve intervalo para um jasmim atalcado aveludado. A baunilha já começa a dar suas caras nesse momento, e nesse instante o novo shalimar é bem parecido com o tradicional.

A partir da segunda hora na pele. é que vemos o ode a baunilha em seu máximo esplendor. Essa descendente bolywoodiana do tradicional shalimar adora baunilhas, mas não deseja ter cheiro de sobremesa ambulante. A baunilha de shalimar é um misto da cremosidade açúcarada que a maioria das baunilhas costuma ter com um aroma mais licoroso e seco de baunilha, como se esta tivesse sido deixada maturando em álcool e assim tivesse sido extraído um aroma menos doce dela. Essa herdeira é fã do aroma de Spiritueuse Double Vanille, outra criação da Guerlain que proclama seu amor pela baunilha numa forma alcóolica e picante, só que Ode a la vanille utiliza-se do aroma de baunilha e rum do Spiritueuse para balancear o aroma cremoso e açúcarado de baunilha, mas sem as referências alcóolicas, amadeiradas e picantes que Spiritueuse Double Vanille tem.

Essa herdeira é consistente e consegue segurar a baunilha por um prolongado tempo na pele. O aroma abaunilhado parece florescer na pele em diversos momentos, se tornando intenso, cremoso, ligeiramente alcóolico, para acalmar logo em seguida. Antenada nas tendências, a herdeira termina seu aroma abaunilhado numa base com efeito de ambar e musk e o que parece ser um uso discreto de patchouli. É uma base similar a de perfumes como o Prada edp, um ambarado com musk cremoso e um toque de cânfora amadeirada, mas que aqui retém parte da cremosidade da baunilha para um efeito sedoso e suave a ser notado após umas 6-7 horas de seu aroma na pele.

Enquanto Shalimar Ode A La Vanille, como herdeira do Shalimar, não consegue ser superar seu Ancestral, e por isso pode vir a decepcionar alguns apaixonados pela primeira criação, é uma bela interpretação moderna e com conteúdo do aroma cítrico e abaunilhado para uma nova geração apaixonada por perfumes gourmands. A herdeira bolywoodiana pode não ser superior, mas é extremamente bela e cativante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here