Pesquisar este blog

31 de out de 2010

Shalimar - Guerlain


Notas: bergamota, limão, mandarina, jasmim, rosa de maio, orris, cravo,  labdanum,  opoponax, fava tonka, sândalo, patchouli, baunilha

Impressões Pessoais

É impossível dissociar a marca Guerlain de uma de suas maiores e mais bem sucedidas criações de todos os tempos, Shalimar. Lançado em 1925, Shalimar é um perfume que evidencia porque alguns clássicos resistem ao tempo, as mudanças de gosto de cada geração e as novidades olfativas. Perfumes como ele se tornam clássicos pela perfeição na junção de suas notas, pela capacidade de sempre terem algo a mostrarem em seu aroma, por serem criações a parte dos modismos, com foco na qualidade das notas em si.

Shalimar é uma das criações da Guerlain focada no amor. Em dois tipos de amor, considerando-se a paixão de seu perfumista, Jacques Guerlain, pelo aroma da baunilha. O principal tema de amor da composição Shalimar é o amor entre o imperador Shãh Jahãn e sua amada esposa Mumtaz Mahal, que, segundo a história, morreu após dar a luz a um dos filhos do casal. Os jardins Shalimar era o lugar onde o casal conversava, e Jacques Guerlain utiliza sua imaginação para criar o que teria sido o perfume que Mumtaz Mahal teria criado em homenagem a sua falecida e amada esposa com base nesse jardim.

Shalimar é uma composição centrada profundamente na baunilha, em uma dualidade aromática entre baunilha e notas cítricas. O aroma da baunilha explorado em shalimar não é diretamente gourmand, puramente doce e açúcarado conforme estamos acostumados. É um aroma de baunilha complexo, que oras se revela com o aroma caramelado e infantil similar ao aroma da lavanda, oras com um aroma sensual, cremoso, adulto. Os primeiros momentos de shalimar são de um aroma cítrico atalcado, que explora o lado esperídico, ardido, do limão, bergamota e mandarina. A transição para um segundo momento, floral especiado, ocorre de uma forma melodiosa, sem grandes interrupções, como uma conversa amorosa entre duas pessoas que se respeitam.

Em um segundo momento é possível perceber a combinação do aroma cítrico floral, sutilmente indólico, do jasmim ao especiado quente do cravo e ao atalcado das rosas e da raiz de iris. A combinação é uma parte do acorde Guerlinade, comum nos perfumes Guerlain e em grande evidência no Shalimar. O acorde guerlinade confere sensualidade e complexidade por meio de um aroma floral-especiado-gourmand, que costuma ser estendido e transformado nas diversas criações da marca, dependendo da mensagem a ser passada. Aqui, em Shalimar a parte floral-especiada do acorde guerlinade funciona como parte da paisagem desse jardim amoroso, que presta a sua homenagem ao tema principal, a delicada, sensual, quente, apaixonante baunilha.

No momento final desse delicado jardim indiano de conversas amorosas é que percebemos o tema principal - a baunilha. Shalimar guarda o melhor de si para os que o admiram por completo. A baunilha de shalimar, apesar de não ser puramente gourmand, é uma baunilha cremosa, com um aroma, conforme mencionado acima, oras delicado, atalcado, oras mais intenso, amendoado. Todas as notas de base são justapostas para que a baunilha brilhe: começando pela fava tonka, com nuances amendoadas, ao patchouli e opoponax, que conferem um tom atalcado e resinoso doce,  ao labdanum e sândalo, que conferem um aroma adocicado sutilmente amadeirado. E é talvez essa justaposição brilhante de aromas que dá o caráter mais belo e apaixonante a baunilha de shalimar.

Shalimar continua sendo uma das criações que serve como referência para a família oriental. Como clássico que é, sua história pode parecer cafona e seu aroma datado para algumas pessoas das gerações mais atuais. Aos apreciadores da perfumaria em seu estado mais puro, artístico, e completo, Shalimar é um perfume que sempre será admirado, pelo seu belo aroma ou por seu caráter histórico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here