Pesquisar este blog

15 de out de 2010

AnOther 13 - Le Labo


Notas:

Ambrox, Salycilate, Muscenone delta, Helvetolide, Ambretteeolide, Cetalox

Impressões:

Para quem não conhece, Le Labo é uma marca de nicho que surgiu em 2006, criada por Fabrice Penot e Eddie Roschie. Ambos trabalhavam para a Armani e resolveram abrir uma marca própria pois estavam cansados do mundo de produção em massa e perfumes de luxo, que, segundo o site deles, "se utilizam de campanhas publicitárias para enganar o consumidor e passar a sensação de que ao usar o perfume veículado eles serão únicos". Assim, a Le Labo surgiu com uma proposta de criar perfumes onde o foco não é o frasco, nem a embalagem, e sim os perfumistas e matérias primas usadas. Para garantir a exclusividade, a sensação de ter algo que poucos possuem acesso, a marca possui uma linha de exclusivos, cada um vendido somente em uma única cidade, além de uma linha mais "acessível". Cada perfume possui o nome de um ingrediente,o ingrediente mais concentrado da fórmula, mais um número que indica a quantidade de ingredientes totais utilizados.


Para esse ano, a grife, em parceria com a revista Another, lançou um perfume chamado Another 13, criado pela perfumista Nathalie Lorson (criadora do Encre Noire Pour Homme), com foco num material de propriedade da empresa Symrise, o Ambrox, uma nota com uma faceta animalíca e um rastro forte. Para garantir a exclusividade, apenas 500 frascos foram produzidos para venda, a um preço de 216 dólares 100ml.


Considerando o que foi dito acima, Another 13, ao ser provado, se mostrou tecnicamente excelente e artisticamente desapontador. Another 13 é uma prova que as duas características de uma criação olfativa nem sempre estão ligadas, e é necessário que haja um equilíbrio entre as duas para que seja possível criar algo novo que, além de ser apaixonante e diferente, tenha um rastro adequado e uma fixação boa.


Do ponto de vista ténico, Another 13 é perfeito. O perfume combina notas que possuem uma fixação de mais de 8 horas na pele, com um rastro balanceado. Ele atua como uma segunda pele, só que perfumada, com uma intensidade que será notada pelas outras pessoas, mas sem ser enjoativa ou discreta demais.


Entretanto, do ponto de vista artístico, Another 13 combina perfeitamente com o seu nome. O que a perfumista entrega é mais uma composição baseada em dois aromas que já são consagrados: ambar e musk. Ambrox é uma matéria prima com um aroma similar ao do ambar, porém que funciona como um ambar esterilizado. Apesar do suposto lado animálico, o Ambrox funciona como um Ambar desprovido da intensidade vegetal, do aroma animálico intenso, do cheiro que é doce e lembra, ao mesmo tempo, um aroma de mel espesso e o cheiro seco do própolis. Apesar de não divulgarem todas as notas do perfume, é possível perceber que as outras 12 matérias escolhidas, entre as citadas acima, funcionam apenas como adornos para o Ambrox, o que garante um aroma coerente, porém linear, do começo ao fim.


Another 13 abre de uma forma estranha na pele. É possível perceber o aroma ambarado, com uma leve sugestão animálica e facetas de um mel aguado, com um estranho lado sintético sugerido. É possível sentir logo no início algo que parece lembrar oras o cheiro de vinagre, oras o aroma esterelizado de um hospital. Isso logo passa, e o que se obtêm logo em seguida é o que permanece na pele por mais de 10 horas. É um aroma aveludado de ambar, nem forte, nem fraco, que varia ligeiramente entre um aroma de musk aveludado, cremoso, suave como uma brisa e um amadeirado que lembra o cheiro da madeira de cedro e de pinho. É sutil essa diferença de tonalidades do aroma na fragrância, que a maior parte do tempo se mantém fiel ao aroma do ambrox.


É, avaliando-se de forma fria, uma criação cínica de uma marca que pretende vender uma idéia de exclusividade, de criações inovadoras, únicas, mas que entrega uma composição que só se mantém exclusiva pela distribuição restrita e pelo número pequeno de frascos produzidos. Não há nada de inovador na idéia, muito menos na execução. A idéia de criar um perfume em parceria com uma revista já foi explorada pela grife Comme Des Garcons em parceria com a revista Monocle. O conceito de criar com evidência em um material sintético foi importado da Escentric Molécules, criadora de um perfume feito somente de Iso E Super dois. Aqui há apenas a junção das duas tendências, em uma criação que parece mais a base pura de um perfume masculino. É uma base em sua perfeição, mas estéril, desprovida de notas de topo e de coração, desprovida de um conceito artístico, de algo que utilize as características do material de uma forma nova e agradável. É apenas um perfume criado para a exposição de um material, algo feito de forma técnica para atrair a atenção dos perfumistas na utilização da molécula, que é lançado para o consumidor, sem um conceito claro envolvido. Inadimissível para uma marca que tem a sua criação exatamente para oferecer ao consumidor uma alternativa honesta enganá-lo com uma falsa exclusividade vendida a preço alto.

Um comentário:

Perfume de Pitanga! disse...

Oi!
OLha tá rolando sorteio lá o blog se quiser participar passa lá depois!
Bjus....s

http://perfumedepitanga.blogspot.com/

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here